Mercado da Capixaba

O Mercado da Capixaba foi construído para desempenhar o papel de ponto de encontro e símbolo da movimentação da capital do Espírito Santo. Na atualidade, a edificação, tombada a nível municipal e estadual, encontra-se abandonada e esteticamente comprometida.
O projeto busca revitalizar e requalificar o uso atual do Mercado, tornando-o um centro de gastronomia e artesanato e retomando a essência de sua função original. Ele seria dedicado a atividades comerciais alimentícias, com funcionamento de restaurantes e quiosques, além da venda de artesanato local. Para trazer força ao comércio de artesanato, que habitou o Mercado nos últimos anos, a ala principal voltada a Av. Jerônimo Monteiro seria ocupada com essa finalidade. .
As quatro fachadas, além de restauradas, teriam suas esquadrias substituídas, portas e janelas, mantendo seu formato original, porém funcionando como vitrines. Essa solução proposta devido à má conservação em que as esquadrias se encontravam, principalmente as do pavimento superior. 
O edifício é margeado por quatro ruas, sendo duas grandes avenidas (Av. Jerônimo Monteiro e Av. Princesa Izabel), e duas ruas de menor porte (Rua Araribóia e Rua Desembargador O’Reilly). Para valorizar suas quatro fachadas e retomar a imponência da edificação, foram recuperados os quatro acessos do projeto original, um em cada fachada. Todos os acessos culminam no mesmo local: o pátio central, que foi o ponto base para o desenvolvimento do projeto.
Além disso, novos elementos compõem o desenho das fachadas, como o mezanino no último pavimento.

Projeto de graduação do Curso de Arquitetura e Urbanismo/UFES

Autora: Adriely Grattz
Orientador: Augusto Alvarenga . 
Coorientador: Kleber Frizzera