Escadaria Gama Rosa

Existem movimentos espontâneos acontecendo no Centro de Vitória que apontam para a novos percursos culturais e comerciais. A Rua Gama Rosa, é um exemplo claro disso e a cada ano tem atraído mais pessoas ao local, seja em um dos bares e restaurantes, seja em sua já tradicional festa de Carnaval. Em um exercício de leitura do espaço urbano foi proposto um novo eixo ligando talvez o Edifício mais relevante do Centro para os Capixabas – A Catedral Metropolitana de Vitória, e a uma das ruas mais jovens e agitadas da região, a Rua Gama Rosa.

O novo eixo se dá em um local hoje ocupado por 3 casas e que transpõe um total de 15 metros de desnível entre a Cidade Alta e a Cidade Baixa. Escadas rolantes, laterais a escadaria convencional, tornam a tarefa do deslocamento menos árdua e mais rápida a quem precisar. Isso porque a escada convencional é na verdade uma grande praça pública, onde a cada subida e descida uma nova função é revelada ao usuário. No subsolo, uma boate. Nos pés da escadaria uma pequena praça que emoldura com precisão uma das torres da Catedral. Em seu primeiro patamar um salão para o restaurante localizado no 2º andar do Edifício de Uso misto proposto. Mais acima um espaço lúdico interativo com escorregas e com um cinema a céu aberto. Já em sua ponta oposta a escadaria se transforma em corredor ladeado por duas cortinas de água responsáveis por abafar o ruído proveniente do local e criar uma atmosfera de transição para o espaço religioso da Catedral.

Projeto Arquitetônico VI – UFES – 2017

Professores: Kleber Frizzera e Rogério Almenara

Autoras: Izabele Gutowski - Arquiteta e urbanista./ Mariany Abreu de Oliveira - Arquiteta e urbanista.