Da Terra ao Mar

O projeto acadêmico elaborado em 2017 visa conectar a Cidade Alta com a Cidade Baixa, potencializando o recinto da Praça Oito no Centro de Vitória por meio da criação de visuais que direcionem o usuário à baía. Essas visuais são reforçadas pela inserção coberturas, sustentadas por colunas, e por passarelas que se ligam aos novos edifícios comerciais propostos no cais, servindo também como um espaço de estar no qual as pessoas podem apreciar as paisagens urbanas e natural dos entornos da praça.
A implantação transversal desses dois elementos (coberturas e passarelas) também promove uma ruptura do isolamento da Praça Oito, “confinada” entre vias (Av. Jerônimo Monteiro e Av. Marechal Mascarenhas de Moraes – esta última propõe-se que seja transformada em via pedonal, com VLT apenas e a criação de um mergulhão por onde os carros transitariam) e dois edifícios (Banestes e antiga Embratel). Assim, espera-se criar uma nova dinâmica de caminhar nesse espaço, que leve as pessoas da Cidade Alta (“terra”) à Cidade Baixa e à baía (“mar”).
O partido adotado para esses edifícios (“entre planos”) baseou-se na concepção da cidade de Vitória como sendo constituída por diferentes planos/camadas (ou paisagens), dentre os quais destacamos: a baía, os morros (Penedo, Fonte Grande, etc.) e a cidade construída.
Outra proposta da equipe para a área é um museu marítimo, que abrigue a história e memória do local e sirva como “âncora” entre o passado e o novo uso que se quer dar. Esse museu possui partido singular no contexto em que está inserido, com “recortes” que criam variadas camadas em sua fachada. O novo waterfront (denominação adotada para o conjunto de edificações novas na área do cais) conta ainda com um Centro de Tecnologia.

Projeto Acadêmico de 2017  - PA 6/ Arquitetura e Urbanismo- UFES .

Autoras: Manuella Comerio e Victória Bezerra

Orientadores: Rogério Almenara e Kleber Frizzera